Busca binária

O objetivo deste post é apresentar um meio eficiente de busca de objetos em memória.

O surgimento da sintaxe LINQ, assim como a utilização de query methods, facilitou a busca em memória. Com estes recursos podemos facilmente executar queries em arrays, coleções e listas de tipos genéricos. O uso deste modelo de sintaxe agiliza o processo de desenvolvimento por tornar a busca em memória trivial e de simples codificação.

Mas, ao adotarmos esse modelo de sintaxe, estamos realmente escrevendo código performático? Será que essas consultas em memória são o modelo mais rápido de pesquisa? Não estaríamos perdemos poder computacional ou tempo de processamento ao adotar estes recursos em determinados cenários de pesquisa em memória?

Dada a necessidade de executar consultas eficientes e com baixo custo computacional, passamos a evitar consultas que consumam muitos recursos computacionais e que sejam lentas.

A busca binária é um algoritmo de busca que segue o paradigma da divisão e conquista. Partindo do pressuposto de que o conjunto de elementos está ordenado, são executadas diversas divisões do espaço de busca restringindo o possível local no qual o elemento buscado está posicionado. A imagem a seguir ilustra o processo de divisão do conjunto de elementos realizado pela busca de elementos.

clip_image002

Saiba mais

Erro 404 ao acessar URL sem extensão do ASP.NET MVC no IIS 7 / KB980368

Ao acessar uma URL do ASP.NET MVC, exposto no IIS 7, é lançado o erro 404 Page/Directory not found.

Existem duas maneiras de resolver este erro:

1) Adicionando o atributo runAllManagedModulesForAllRequests na seção Modules do Web.Config.

2) Instalação do KB980368 (http://support.microsoft.com/kb/980368).

A utilização do runAllManagedModulesForAllRequests é necessária para o roteamento de requisições quando não temos o KB instalado, mas a utilização da tag runAllManagedModulesForAllRequests acarreta em overheads de execução desnecessários.

Saiba mais

Padrão Generation Gap

O padrão Generation Gap surgiu da dificuldade de se manter código gerado automaticamente e código escrito manualmente em um mesmo arquivo.

Em primeiro lugar, precisamos contextualizar quando as duas abordagens tornam-se conflitantes.

A partir do momento que temos uma classe gerada automaticamente por alguma ferramenta (por exemplo: Entity Framework Database First) e precisamos adicionar a ela algum comportamento escrito manualmente (algum método, ou propriedade que não será persistida no banco de dados), corremos o risco de perder tais modificações manuais após qualquer atualização da classe gerada automaticamente. Isto é, qualquer modificação gerada a partir de uma atualização do modelo acarretará na perda de qualquer código escrito manualmente.

Criando um componente SQL CLR para o registro de mensagens no event log do Windows

O Common Language Runtime é o coração do .NET Framework. O SQL Server fornece recursos que permitem a incorporação de componentes CLR ao seu ambiente de execução, desta forma podemos construir stored procedures, triggers, user-defined functions, user-defined types e user-defined aggregates utilizando código gerenciado.

Este post descreve os passos necessários para criação de um componente SQL CLR para o registro de mensagens no event log do Windows a partir da execução de stored procedures.

Saiba mais

Tucano Games

No último um ano e meio tenho participado de um projeto do qual tenho muito orgulho e no qual vejo muito futuro. Este projeto é o Tucano Games, onde sou Microsoft MVP Mentor. Junto com os professores Dr. Luciano Araújo e Dr. Carlos Monteiro temos tido a excelente oportunidade de usar nossos conhecimentos para construir um projeto que já tem ajudado muitas crianças e famílias. E, no último dia 28 de Abril, tivemos a felicidade de ganhar o ImagineCup Brasil na Categoria Cidadania Mundial.

TucanoLogoImagineCup

Saiba mais

Visual Studio Summit 2014 – Profiling de Aplicações .NET

Tive a felicidade de participar pela terceira vez do Visual Studio Summit, evento sobre tecnologias Microsoft.

Nesta última participação palestrei sobre Profiling de Aplicações .NET.

Aqui existe um link para o evento Visual Studio Summit 2014.

Mais detalhes sobre o uso de profiling podem ser encontrados neste link: Profiling de Aplicações .NET

Saiba mais

Profiling de Aplicações .NET

Mesmo com o melhor desempenho e os melhores profissionais, problemas relacionados a performance podem surgir. Fazer com que uma aplicação execute de forma performática pode parecer uma tarefa fácil, mas isso pode se tornar uma arte oculta.

Ferramentas de profiling monitoram a execução de uma aplicação com o objetivo de medir os recursos computacionais (tempo, processamento e memória) gastos por um método por toda a sua execução. Seu objetivo é identificar pontos na aplicação que causem problemas em sua execução.

O profiling de aplicações .NET é mais complexo do que aplicações em código de máquina, pois o .NET faz uso de recursos como Application Domains, Garbage Collection, Exception Handling e Just-in-Time Compilation, recursos que tornam o processo de captura dos métodos em execução mais complexo.

Saiba mais

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 74 outros seguidores