Entity Framework 5 (Internals)

Neste post gostaria de descrever alguns procedimentos importantes para execução de queries via Entity Framework 5. Acredito que a explicação do funcionamento e da existência destes procedimentos pode ajudar na resolução de cenários mais avançados e no entendimento do funcionamento do Entity Framework.

Unicorn-Sugar-Skull

Cold e Warm Queries

A primeira vez que uma query é executada, o Entity Framework executa muito trabalho para carregar e validar o modelo de dados utilizado.

Leia mais deste post

SelectMany – Simplificando consultas e estruturas

Olá,

Hoje vamos discutir sobre um query method chamado SelectMany e como ele pode facilitar (e muito) nossas consultas com objetos aninhados.

selectMany2

Leia mais deste post

Integrando MongoDB com .Net e LINQ

Olá!

Na última sexta-feira (13 de Julho de 2012), estive presente no MongoDB São Paulo 2012. Um evento organizado pela 10Gen sobre o uso do MongoDB. Para quem não sabe o MongoDB é um banco de dados No-SQL, isto é, não trabalha com o paradigma relacional, não trabalha com colunas e nem linhas. A persistência dos dados é toda baseada na estrutura das entidades de suas classes. Isto é bastante favorável, pois não exige a existência de uma estrutura rígida baseada em um schema. Algum tempo atrás eu fiz uma série de experimentos com o Db4Objects (http://ferhenriquef.com/?s=db4o), um banco de dados orientado a objetos que funciona de forma parecida.

Um adendo: quando fiz a faculdade de Sistemas de Informação, na Universidade Presbiteriana Mackenzie, eu tive a possibilidade de escolher uma ênfase para o meu curso, e no caso escolhi a ênfase em Banco de Dados. Então, isso explica alguns dos meus posts e alguns dos experimentos neste blog. Sou vidrado em tecnologias diferentes de armazenamento de dados, mas acho que isso todos já perceberam.

mongoNet

Leia mais deste post

Uso de Include em consultas com o Entity Framework Code First

Um tópico muito discutido nos fóruns de acesso a dados (http://social.msdn.microsoft.com/Forums/pt-BR/adoptpt/threads) e LINQ (http://social.msdn.microsoft.com/Forums/pt-BR/linqpt/threads) é o uso de Lazy Load no Entity Framework.

O Lazy Load (ou Lazy Loading) nada mais é do que um mecanismo adotado pelos frameworks de persistência a dados para carregar as informações sobre demanda, isto é, carregar em memória apenas os dados de propriedades que não sejam relacionamentos para outras entidades. Este tipo de recurso minimiza o consumo de memória, o trafego de dados pela rede e os recursos de consulta do banco de dados, além de tornar a consulta mais rápida. Leia mais deste post

Agrupamento de dados via LINQ e Lambda

Nos últimos tempos, participando do fórum do MSND sobre LINQ (http://social.msdn.microsoft.com/Forums/pt-br/linqpt/threads ), notei que muitas dúvidas surgiram com relação a sintaxe do LINQ para o agrupamento de dados. Dessa forma, espero neste post fazer um breve overview da sintaxe do LINQ para agrupamento, e também demonstrar a sintaxe Lambda correspondente.

Contexto do exemplo
Para estes exemplos utilizei uma estrutura de dados chamada Cidade. Esta estrutura contém: o nome da cidade, a quantidade de habitantes que ali vivem e o estado desta cidade dentro do país.

Os dados utilizados para a execução do exemplo estão chumbados no código e são originados do seguinte método: Leia mais deste post

Windows Phone Mango e Microsoft SQL CE

Para armazenar e recuperar dados em um banco de dados local as aplicações Windows Phone utilizam LINQ to SQL. O LINQ to SQL é um recurso nativo do Framework 3.0 e foi um dos recursos que mais chamaram atenção no lançamento do Microsoft Visual Studio 2008. O LINQ to SQL, como já dito em outros posts, fornece mapeamento objeto-relacional entre a aplicação e bancos de dados relacionais, além disso é um recurso extremamente poderoso, que permite a construção de consultas utilizando sintaxe C# e VB.Net.

O Windows Phone Mango utiliza como base de dados o Microsoft SQL CE, versão compacta do famoso banco de dados Microsoft SQL, e própria para dispositivos móveis.

Aqui vamos apresentar o exemplo de uma aplicação que armazena e remove dados do banco de dados Microsoft SQL CE, utilizando como plataforma o Windows Phone Mango.

1o – Crie a aplicação utilizando o template Windows Phone Application.

2o – Ao ser perguntado sobre a versão da plataforma Windows Phone, selecione a opção Windows Phone OS 7.1.

3o – Dentro do projeto crie três pastas, sendo elas: DAO, Controller e Model.
windowsPhone01

4o – Faça referência a DLL System.Data.Linq.
windowsPhone02

5o – Dentro da pasta Model, criada anteriormente, crie a classe DataItem conforme a imagem a seguir.
windowsPhone03

6o – Adicione os atributos de mapeamento objeto-relacional LINQ para criar o mapeamento entre a classe e a tabela do banco de dados do Microsoft SQL CE. Faça referência ao namespace System.Data.Linq.Mapping.
windowsPhone04

7o – Dentro da pasta DAO crie uma classe chamada DataBaseContext, e a faça herda DataContext, classe presente no namespace System.Data.Linq. Esta classe será nosso data context e será responsável por fazer a ponte entre a aplicação e o banco de dados. Dentro da classe crie um atributo público chamado DataItems e que seja do tipo Table<DataItem>, este atributo representará nossa tabela no banco de dados. A classe DataBaseContext deverá se parecer com a seguinte implementação:
windowsPhone05

8o – Agora que temos nossa entidade e nosso data context, devemos criar uma classe que encapsule os comando com o banco de dados, por isso criaremos dentro da pasta DAO a classe DAOProvider. Esta classe representará nossa camada de acesso a dados e encapsulará os comandos feitos para o banco de dados. Nesta classe implementaremos quatro métodos, sendo eles: CreateDataBase, método que criará a base de dados; GetDataItems, método que retornará todos os dados que estiverem no banco de dados; Save, salva novos registros na base de dados; Remove, remove os dados do banco de dados. A implementação funcionará da seguinte forma:
windowsPhone06

9o – Para intermediar as chamadas entre a camada de visão e o repositório criaremos uma classe de controle que faça chamadas ao repositório. A vantagem de utilizar este tipo de classe é a possibilidade de encapsultar o repositório e poder adicionar filtros que intermediem o acesso aos dados do banco de dados. Esta classe deverá ser implementada como demonstrado a seguir:
windowsPhone07

10o – Finalmente vamos construir a interface do nosso aplicativo. Esta será uma interface bastante simples, deverão ser adicionados os seguintes itens: um textbox, um listbox e um botão (mais detalhes do layout poderão ser vistos no link para o download do exemplo, pois o layout do projeto não é o objetivo deste post).
windowsPhone08

11o – O único detalhe importante do layout é o modo como será feito o bind do listbox, pois na verdade ele será populado "na mão", isto é, os itens serão adicionados um-a-um (em um próximo post veremos como fazer isso de modo automático). Segue detalhe do XAML descrevendo o bind do listbox.
windowsPhone09

12o – A lógica da camada de visão deverá funcionar como o código apresentado a seguir. Como pode ser observado no código, ao clicar no botão Salvar um novo registro será incluso na base de dados, e ao clicar sobre qualquer item do listbox, o mesmo será removido do banco de dados.
windowsPhone10

Esta é uma introdução ao acesso a dados utilizando o Windows Phone e o Microsoft SQL CE. Espero que este post sirva como introdução para todos, e também espero que motive a construção de novos aplicativos para esta nova plataforma.

Para o download do exemplo acesse esse link: http://code.msdn.microsoft.com/Windows-Phone-Mango-e-SQL-81f15d55

[]s!

windowsPhone11

Atualizando dados utilizando o método Attach!!!!

O modo mais fácil de atualizarmos dados de nosso modelo no banco de dados é através do método Attach. Assim como utilizamos o InsertOnSumit para executarmos inclusões na base de dados, o método Attach pode ser bastante útil para atualizações de nossas entidades em nossas bases de dados.

Vamos supor uma classe chamada Arquivo:

AttachArquivo01

… e vamos utilizar uma data context como o seguinte:

AttachDataContext02

Em seguida, vamos criar um método para submeter nossas atualizações ao banco de dados:

AttachSalvar03

Observe que caso o valor de nossa propriedade Id seja distinto de ZERO, teremos de executar uma consulta na base de dados para retornar a instância que desejamos e assim fazermos o “de/para” dos dados de nossa instância (com valores atualizados) para a instância vinda do banco de dados.

Se utilizássemos o método Attach iríamos reduzir a complexidade deste código e removeríamos uma consulta desnecessária ao banco de dados para buscar a instância que lá existe, desta maneira:

AttachSalvar04

Simples! Veja que a complexidade do código foi reduzida e eliminamos uma consulta extra ao banco de dados, o que acaba gerando uma rotina de atualização mais rápida e performática.

Mas existe uma ressalva sobre este método: o Attach EXIGE que a instância de objeto passada por parâmetro não esteja vinculada a nenhum outro Data Context, isto é, caso a instância de objeto passada por parâmetro para o método Salvar tenha vindo diretamente de um Data Context, o attach não ocorrerá, e receberemos uma mensagem de erro, por isso, neste caso, a classe Arquivo implementa a interface ICloneable, resultando nesta estrutura:

AttachArquivo05

[]s e até a próxima! =]

 

Por
Fernando Henrique Inocêncio Borba Ferreira.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 78 outros seguidores